Para evitar o desperdício de água no sistema de aquecimento a gás, o aluno de mestrado em Engenharia Elétrica do Centro Universitário da FEI, Carlos Eduardo Guedes, desenvolveu um módulo para acoplar ao aparelho a gás e funcionar paralelamente com energia elétrica. O sistema proporciona uma média de economia de 15 litros de água por banho.

 

Os aquecedores a gás levam um tempo para esquentar a água do chuveiro e deixá-la em uma temperatura agradável. “Muitas vezes, as pessoas ligam o chuveiro e esperam a água ficar quente para entrar no banho e isso leva em torno de dois minutos”, afirma Guedes, criador do projeto. A ideia é evitar este desperdício e aproveitar o melhor de cada solução: a agilidade do sistema elétrico no início do aquecimento e a eficiência energética do sistema a gás logo em seguida.

 

economiagua

 

Esse módulo é um compensador, que trabalha por meio da energia elétrica e conduz água já quente ao chuveiro, enquanto o sistema a gás permanece em aquecimento. Assim que a temperatura do sistema a gás alcança o nível desejado, o sistema de controle é desativado e não fornecerá mais potência. Desta forma, o aquecedor a gás passa a ter total autonomia na sua atuação. Dentro do módulo há uma placa eletrônica microprocessada que, por meio de um algoritmo, é capaz de controlar o aquecimento e diminuir em 95% o tempo de espera.

 

“Em um grande condomínio que tenha 400 apartamentos, com uma média de quatro moradores para cada um e dois banhos por dia, o desperdício chega a 18 milhões de litros por ano. Considerando que a média de economia de água por banho é de 15 litros, a economia é enorme e muito importante, principalmente diante da crise que estamos enfrentando”, explica o aluno da FEI.

 

Mundialmente o projeto é totalmente inovador e já foram realizados diversos testes para seu funcionamento. Hoje encontra-se em fase de captação de recursos e parcerias para desenvolvê-lo e implantá-lo no mercado.

 

Fonte: Catraca Livre


Obs: As informações acima são de total responsabilidade da Fonte declarada. Não foram produzidas pelo Instituto Pinheiro, e estão publicadas apenas para o conhecimento do público. Não nos responsabilizamos pelo mau uso das informações aqui contidas.