Nutricionista não é só quem prescreve dieta.

 

Conversamos com Abby Langer, proprietária da Abby Langer Nutrition; Jessica Jones, nutróloga ambulatorial da clínica de saúde comunitária e cocriadora do Food Heaven Made Easy; Shelly Redmond, fundadora da Skinny Louisiana; e Ben Sit, presidente da Evolved Sport and Nutrition. Aqui está o que eles disseram:

 

1. Eles não estão interessados em julgar você, sua dieta ou seu estilo de vida.Mesmo que seja intimidador contar a um nutricionista TODOS os seus hábitos alimentares, especialmente quando está procurando ajuda com sua dieta, ele não está lá para culpá-lo nem quer envergonhá-lo para que mude de dieta. "Eu odeio ficar policiando aquilo que as pessoas comem", diz Sit. Além disso, envergonhar um paciente não ajuda, diz Jones — é desencorajador.

Mesmo que seja intimidador contar a um nutricionista TODOS os seus hábitos alimentares, especialmente quando está procurando ajuda com sua dieta, ele não está lá para culpá-lo nem quer envergonhá-lo para que mude de dieta.

 

“Eu odeio ficar policiando aquilo que as pessoas comem”, diz Sit. Além disso, envergonhar um paciente não ajuda, diz Jones — é desencorajador.

 
2. Para eles, não existe uma dieta que seja A MELHOR.
Sim, no geral, eles devem aconselhar você a beber menos refrigerante e a comer menos alimentos processados. Mas é pouco provável que fiquem defendendo a dieta paleo ou falem que você tem que virar vegano ou evitar todos os grãos. "Tudo tem que ser pessoal. Minha abordagem é encontrar o que é melhor para você e seu corpo, e o que faz com que você se sinta bem e não estressado ou ansioso sobre alimentação", diz Jones.
Sim, no geral, eles devem aconselhar você a beber menos refrigerante e a comer menos alimentos processados. Mas é pouco provável que fiquem defendendo a dieta paleo ou falem que você tem que virar vegano ou evitar todos os grãos.
 
“Tudo tem que ser pessoal. Minha abordagem é encontrar o que é melhor para você e seu corpo, e o que faz com que você se sinta bem e não estressado ou ansioso sobre alimentação”, diz Jones.
 
3. Eles não vão falar que você precisa abandonar todos os alimentos que você ama neste mundo.Jones explica que trabalhar com um nutricionista não significa eliminar seus alimentos favoritos (mas não tão ideais) de sua vida. Se você ama fast food, ela não vai lhe pedir para nunca mais comer. Provavelmente ela vai recomendar que você coma de vez em quando e com bastante salada. Redmond diz que uma grande parte de seu trabalho é transformar as receitas favoritas dos pacientes em algo um pouco mais saudável — seja uma sobremesa, um coquetel ou a comida favorita de uma festa. E ela nem está tentando fazer com que essas receitas fiquem totalmente livres de gordura ou açúcar, só que não sejam tão ruins para você. "A última coisa que queremos é que as pessoas provem uma receita e sintam gosto de dieta", ela diz.
Jones explica que trabalhar com um nutricionista não significa eliminar seus alimentos favoritos (mas não tão ideais) de sua vida. Se você ama fast food, ela não vai lhe pedir para nunca mais comer. Provavelmente ela vai recomendar que você coma de vez em quando e com bastante salada.
 
Redmond diz que uma grande parte de seu trabalho é transformar as receitas favoritas dos pacientes em algo um pouco mais saudável — seja uma sobremesa, um coquetel ou a comida favorita de uma festa. E ela nem está tentando fazer com que essas receitas fiquem totalmente livres de gordura ou açúcar, só que não sejam tão ruins para você. “A última coisa que queremos é que as pessoas provem uma receita e sintam gosto de dieta”, ela diz.
 
4. E, sim, eles realmente querem que você comece a gostar de alimentos mais saudáveis."Os nutricionistas não querem tornar sua vida miserável. Queremos que você entenda os alimentos e goste deles", diz Langer. O objetivo é ajudar os pacientes a "encontrar um equilíbrio entre alimentos 'saudáveis' e aqueles que os deixam 'felizes'", diz Sit.
“Os nutricionistas não querem tornar sua vida miserável. Queremos que você entenda os alimentos e goste deles”, diz Langer. O objetivo é ajudar os pacientes a “encontrar um equilíbrio entre alimentos ‘saudáveis’ e aqueles que os deixam ‘felizes'”, diz Sit.
 
5. Eles são nutricionistas porque amam comida, não as regrasalimentares."Sempre digo para as pessoas que a maioria dos profissionais do ramo gostam muito de comida. Gostamos de comemorar com comida. Gostamos de comida por si só", diz Redmond, que gostava tanto de comida que estava matriculada em uma escola de culinária quando percebeu que ensinar as pessoas a cozinhar sua própria comida seria mais interessante do que virar uma chef profissional. "Eu não tinha bonecas quando criança, tinha panelas e frigideiras", ela diz. "Eu queria ensinar as pessoas a comer o que elas já amam." Da mesma maneira, Sit também estava estudando para virar chef quando percebeu que queria estudar nutrição.
“Sempre digo para as pessoas que a maioria dos profissionais do ramo gostam muito de comida. Gostamos de comemorar com comida. Gostamos de comida por si só”, diz Redmond, que gostava tanto de comida que estava matriculada em uma escola de culinária quando percebeu que ensinar as pessoas a cozinhar sua própria comida seria mais interessante do que virar uma chef profissional.
 
“Eu não tinha bonecas quando criança, tinha panelas e frigideiras”, ela diz. “Eu queria ensinar as pessoas a comer o que elas já amam.” Da mesma maneira, Sit também estava estudando para virar chef quando percebeu que queria estudar nutrição.
 
6. E eles não comem só alimentos 100% saudáveis.
Claro, eles comem muita salada, mas também consomem suas coisas favoritas (com moderação), como doces, frango frito e de vez em quando, um whisky duplo. E fazer isso pode torná-los melhores nutricionistas, diz Jones. "Eu posso me identificar com os pacientes porque eu já tive — e ainda tenho — meus próprios conflitos", ela diz.
Claro, eles comem muita salada, mas também consomem suas coisas favoritas (com moderação), como doces, frango frito e de vez em quando, um whisky duplo. E fazer isso pode torná-los melhores nutricionistas, diz Jones. “Eu posso me identificar com os pacientes porque eu já tive — e ainda tenho — meus próprios conflitos”, ela diz.
 
7. Pacientes extremamente autodidatas em nutrição são difíceis de lidar.Sit diz que pode ser difícil trabalhar com pacientes que já pesquisaram muito sobre nutrição, seja passando horas no Google ou assistindo a todos os documentários sobre alimentação na Netflix. A pesquisa oferece muitos fatos às pessoas e, consequentemente, muitas opiniões sobre o que é certo para elas, mas não oferece necessariamente a competência de "dar um passo para trás e analisar o contexto geral" do estilo de vida, do relacionamento com a comida e da dieta da pessoa, e isso é exatamente o que os nutricionistas são treinados para fazer.
Sit diz que pode ser difícil trabalhar com pacientes que já pesquisaram muito sobre nutrição, seja passando horas no Google ou assistindo a todos os documentários sobre alimentação na Netflix.
 
A pesquisa oferece muitos fatos às pessoas e, consequentemente, muitas opiniões sobre o que é certo para elas, mas não oferece necessariamente a competência de “dar um passo para trás e analisar o contexto geral” do estilo de vida, do relacionamento com a comida e da dieta da pessoa, e isso é exatamente o que os nutricionistas são treinados para fazer.
 
8. Basicamente, eles têm um sexto sentido para quando os pacientes não estão sendo totalmente honestos.
Langer diz que depois de 17 anos como nutricionista, ela geralmente sabe quando alguém tenta esconder que comeu uma grande quantidade de açúcar ou que teve um final de semana não tão ideal em termos de comida ou bebida.
 
Outro sinal revelador: quando um paciente não progride em direção ao seu objetivo e parece não haver uma razão para isso.
 
9. Eles não são nutricionistas 24 horas.
Quando as pessoas sabem que você é nutricionista, elas querem discutir sobre dietas ou conseguir conselhos sobre como se alimentar, diz Sit. "Nunca falo para as pessoas que sou nutricionista. É cruel... Não tenho intenção de trabalhar quando estou apenas conversando com alguém", diz ele. Langer concorda: "Quando vou a uma festa, não quero falar para as pessoas sobre meu trabalho, pois sou bombardeada com perguntas. Não estou trabalhando, portanto não quero ouvir o que você comeu no café da manhã", ela diz.
Quando as pessoas sabem que você é nutricionista, elas querem discutir sobre dietas ou conseguir conselhos sobre como se alimentar, diz Sit. “Nunca falo para as pessoas que sou nutricionista. É cruel… Não tenho intenção de trabalhar quando estou apenas conversando com alguém”, diz ele.
 
Langer concorda: “Quando vou a uma festa, não quero falar para as pessoas sobre meu trabalho, pois sou bombardeada com perguntas. Não estou trabalhando, portanto não quero ouvir o que você comeu no café da manhã”, ela diz.
 
10. E com certeza eles não vão te convencer a seguir a dieta do momento.Tem muita informação jogada por aí, e Langer diz que quando se trata de nutrição, as pessoas ficam "tão apegadas ao que acreditam" que muitas vezes querem provar que a dieta delas é a melhor ou a maneira mais correta para todo mundo. Tento não discutir isso com as pessoas", ela diz. Jones concorda: "Não tenho interesse em convencer as pessoas de algo que elas não querem ouvir", ela diz.
Tem muita informação jogada por aí, e Langer diz que quando se trata de nutrição, as pessoas ficam “tão apegadas ao que acreditam” que muitas vezes querem provar que a dieta delas é a melhor ou a maneira mais correta para todo mundo. Tento não discutir isso com as pessoas”, ela diz.
 
Jones concorda: “Não tenho interesse em convencer as pessoas de algo que elas não querem ouvir”, ela diz.
 
11. Nutricionistas também podem ajudar com alguns sentimentos que você possa ter sobre comida e alimentação."Tive muitas pessoas chorando no meu escritório. Na maioria das vezes, a nutrição não é sobre o alimento; é sobre o motivo de comer, como você come e o que aconteceu no passado para afetar sua atitude em relação à comida", diz Langer. Ela diz que quando os pacientes a procuram querendo emagrecer, é importante entender não apenas a maneira como eles comem, mas quais são suas atitudes em relação à comida e a si mesmos. "Algumas dessas coisas são dolorosas para as pessoas", ela diz. É claro que alguns problemas estão além da área de atuação de um nutricionista. Por exemplo, um paciente com problemas emocionais mais sérios em relação à comida, alimentação e peso precisaria ser encaminhado a um psicoterapeuta, diz Langer.
“Tive muitas pessoas chorando no meu escritório. Na maioria das vezes, a nutrição não é sobre o alimento; é sobre o motivo de comer, como você come e o que aconteceu no passado para afetar sua atitude em relação à comida”, diz Langer. Ela diz que quando os pacientes a procuram querendo emagrecer, é importante entender não apenas a maneira como eles comem, mas quais são suas atitudes em relação à comida e a si mesmos.
 
“Algumas dessas coisas são dolorosas para as pessoas”, ela diz. É claro que alguns problemas estão além da área de atuação de um nutricionista. Por exemplo, um paciente com problemas emocionais mais sérios em relação à comida, alimentação e peso precisaria ser encaminhado a um psicoterapeuta, diz Langer.
 
 
12. Eles não gostam muito de como outros profissionais da saúde lidam com alimentação e nutrição.Embora os médicos saibam muito sobre pesquisas médicas envolvendo alimentação e dieta, Sit diz que os nutricionistas entendem o "lado humano" da nutrição — como crenças e valores econômicos, étnicos, morais, religiosos e culturais que influenciam praticamente todas as escolhas alimentares que fazemos. Como resultado, os nutricionistas estão especialmente preparados para ajudar os pacientes a integrar mudanças na dieta e nos estilos de vida de forma sustentável e fortalecedora. Jones diz que o trabalho de um nutricionista é "conhecer os pacientes na atual situação deles".
Embora os médicos saibam muito sobre pesquisas médicas envolvendo alimentação e dieta, Sit diz que os nutricionistas entendem o “lado humano” da nutrição — como crenças e valores econômicos, étnicos, morais, religiosos e culturais que influenciam praticamente todas as escolhas alimentares que fazemos. Como resultado, os nutricionistas estão especialmente preparados para ajudar os pacientes a integrar mudanças na dieta e nos estilos de vida de forma sustentável e fortalecedora. Jones diz que o trabalho de um nutricionista é “conhecer os pacientes na atual situação deles”.
13. E, sim, eles sabem como perder 5 quilos de maneira muito rápida, mas não vão te indicar.A verdade é que os nutricionistas não são as pessoas ideais para pedir conselhos sobre qual dieta radical vai ajudar você a emagrecer mais em menos tempo. O motivo disso é que eles estão interessados em ajudar as pessoas a realizarem pequenas mudanças que, ao longo do tempo, vão resultar em um estilo de vida mais saudável, um maior prazer na alimentação e uma perspectiva mais fortalecida e confiante da vida.
A verdade é que os nutricionistas não são as pessoas ideais para pedir conselhos sobre qual dieta radical vai ajudar você a emagrecer mais em menos tempo. O motivo disso é que eles estão interessados em ajudar as pessoas a realizarem pequenas mudanças que, ao longo do tempo, vão resultar em um estilode vida mais saudável, um maior prazer na alimentação e uma perspectiva mais fortalecida e confiante da vida.
 
Fonte: BuzzFeed

Obs: As informações acima são de total responsabilidade da Fonte declarada. Não foram produzidas pelo Instituto Pinheiro, e estão publicadas apenas para o conhecimento do público. Não nos responsabilizamos pelo mau uso das informações aqui contidas.